A nona geração da linha Moto G foi oficializada em setembro de 2020, quando a Motorola apresentou os Moto G9 Plus e G9 Play. Ambos trouxeram um grande salto em especificações para seus antecessores, e o baratinho da linha chegou a um nível equiparável com os três modelos mais potentes da oitava geração.Review Realme C25 | Resistente, barato e com muita bateriaDepois de um Moto G8 Play que deixou um pouco a desejar, o sucessor possui uma ficha técnica de respeito, com processador quase tão bom quanto o de um Moto G8 Plus, câmera com alta resolução e bateria de muita capacidade. O conjunto é bastante interessante, e o design reformulado garantiu uma aparência quase única ao celular — posteriormente, a própria Motorola adotou visual semelhante na linha Moto E7.Eu testei o Moto G9 Play cerca de nove meses depois de seu lançamento, já atualizado para o Android 11, para ver se o aparelho ainda entrega uma boa experiência ao usuário. E eu conto como foi nos próximos parágrafos, que, espero, devem lhe ajudar a tomar uma decisão de comprar ou não este dispositivo.Não há nada especial em design e construção do Moto G9 Play.

O dispositivo tem traseira em plástico com peça única que pega também as laterais. Botões de volume, energia e um exclusivo para o Assistente do Google ficam no lado direito. À esquerda, temos apenas a gaveta para dois chips de operadora ou um chip e um cartão memória. O conector USB-C fica na parte de baixo.Na traseira, o logo da Motorola traz o leitor de impressão digital, centralizado na porção superior. Logo acima, um módulo de câmeras quadrado, com quatro furos — três câmeras e um flash LED circular — e na mesma cor do aparelho, que pode ser adquirido em azul, verde ou rosa. A parte frontal tem poucas bordas, sendo a inferior um pouco maior, e um notch em gota centralizado completa o visual do Moto G9 Play.O celular é um pouco grande, inclusive com dimensões maiores que um iPhone 12 Pro Max, mas é a tendência entre as fabricantes de aparelhos Android. 
Se você está atrás de um modelo mais compacto, vai ter um pouco de dificuldade para encontrar um celular com o sistema operacional do Google, especialmente entre opções baratas.O painel usa tecnologia IPS LCD, então podemos esperar cores naturais, e preto em um tom de cinza bem escuro. O nível do brilho não é muito alto, e você pode sentir um pouco de dificuldade para usar o aparelho na rua, mas no geral ele tem boa visibilidade.Em resumo, a tela do Moto G9 Play não é nada de mais, mas também não deixa a desejar. Afinal de contas, estamos falando de um celular quase de entrada, um intermediário barato que vai entregar experiência satisfatória por um preço não muito elevado.Com o Snapdragon 662, o Moto G9 Play se igualou aos três modelos mais potentes da oitava geração da linha.
A plataforma da Qualcomm nada mais é do que o Snapdragon 665 com alguns pequenos cortes de custo, mantendo o mesmo processador e GPU. Ou seja, o baratinho da nona geração tem oito núcleos de processamento que chegam a até 2,0 GHz. E também repete a memória, com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento.Na prática, isso significa que o uso no dia a dia do Moto G9 Play é tão bom quanto o no Moto G8, G8 Power ou G8 Plus. Eu iniciei os testes pouco antes da atualização para o Android 11 chegar, e notei uma pequena melhoria na velocidade do aparelho após o update. Nada muito perceptível, no entanto.No geral, o Moto G9 Play se comportou muito bem para um celular intermediário. Considerando seu preço mais baixo que muitos outros modelos da categoria, o celular pode ser uma ótima opção para quem não exige muito do aparelho, quer jogar de maneira casual — ele roda até mesmo alguns títulos mais pesados com gráficos reduzidos — e não pretende trocar de aparelho nos próximos dois ou três anos.Os testes de benchmark do Moto G9 Play no 3D Mark deram um resultado pouca coisa melhor com o Android 11 do que havia sido visto no Android 10. Antes da atualização, o teste Wild Life (Unlimited) deu 368 pontos, com 2,2 fps. Após o update, saltou para 380 pontos, com 2,3 fps. Mudança não tão grande, mas que pode indicar uma melhoria na fluidez do sistema. A versão extrema do teste deu alteração menor, de 102 pontos para 107 pontos, e manteve 2,2 fps.